LOCAL DO ENCONTRO ENTRE ABRAÃO E MELQUISEDEQUE É ENCONTRADO

Local do encontro entre Abraão e Melquisedeque é encontrado por Arqueólogo e Cientista chora. Local do encontro entre Abraão e Melquisedeque é encontrado por Arqueólogo e mundo surpreende. Os restos de um altar que ele encontrou em Jerusalém são o ponto onde Abraão encontrou o sumo sacerdote Melquisedeque, como lemos em Gênesis para um arqueólogo israelense .
Para Eli Shukron, que tem trabalhado com achados na cidade de Davi há muitos anos, esta é uma das suas descobertas mais importantes.


“Estamos em um lugar muito, muito importante. Volte para Melquisedeque. Volte para o tempo de Abraão. Entenda de que maneira essas pessoas estão adorando a Deus no começo”, disse Shukron ao site CBN News.
O arqueólogo lembra que em outros povos como no Egito e Mesopotâmia a adoração era feita em templos, com ouro e ídolos, mas apenas os hebreus usavam pedras.“A pedra é a casa de Deus, não há ouro nem diamantes, tudo é simples, é o que Deus quer que sejamos, simples. É fantástico. Por quê? Por que razão? Para nos conectar com Deus”, declarou Shukron.

O ESTUDIOSO DIZ QUE ALI HÁ A COMBINAÇÃO DO ALTAR PARA O SACRIFÍCIO, O CANAL DO SANGUE, O PREGO DO AZEITE PARA O ÓLEO DA UNÇÃO, O LUGAR PARA AMARRAR OS ANIMAIS DO SACRIFÍCIO. A DESCRIÇÃO DESSE ENCONTRO ESTÁ EM GÊNESIS 14 QUE DIZ: “ENTÃO MELQUISEDEQUE, REI DE SALÉM, TROUXE PÃO E VINHO; ELE ERA O SACERDOTE DO DEUS ALTÍSSIMO. E ABENÇOOU-O E DISSE: BENDITO SEJA ABRÃO DO DEUS MAIS SUBLIME, POSSUIDOR DO CÉU E DA TERRA; E ABENÇOADO SEJA O DEUS ALTÍSSIMO, QUE ENTREGOU SEUS INIMIGOS EM SUAS MÃOS. E ELE DEU A ELE UM DÍZIMO DE TUDO.”

A bênção do pão e do vinho é uma tradição e um estilo de vida que continua cerca de 4000 anos depois, como explica o arqueólogo, e a entrega do dízimo é uma forma de adoração.
“O que estamos fazendo hoje? O judeu, o cristão… O que estamos fazendo? Estamos abençoando o pão e o vinho de uma maneira diferente, mas abençoando o pão e o vinho”, disse Shukron.
“Onde tudo começou? Aqui na cidade de Davi, no Templo de Melquisedeque . Este é o lugar. É onde estamos e isso é incrível para entender isso”, completou

TEMPLO EGÍPCIO DE 2 MIL ANOS É ENCONTRADO NAS MARGENS DO RIO NILO

O lugar teria sido construído durante o reinado de Ptolomeu IV e seria uma homenagem ao deus egípcio da fertilidade
Trabalhadores da construção civil que faziam escavações para a implementação de uma rede de esgotos, na cidade egípcia de Tama, descobriram algo inacreditável: um templo de 2.200 anos da dinastia de Ptolomeu IV.
Segundo o Ministério de Antiguidade do Egito, a construção foi interrompida imediatamente para que os arqueólogos pudessem averiguar o local, próximo às margens do Rio Nilo. Até agora, foram encontradas algumas paredes que possuem decorações dedicadas a Hopi, deus egípcio da fertilidade e a quem os antigos egípcios prestavam homenagens e faziam oferendas para que a colheita fosse abundante.
Algumas das gravuras mostram Hopi carregando oferendas enquanto era cercado por pássaros e outros animais. Além disso, hieróglifos mencionam Ptolomeu IV, o que pode indicar que ele foi responsável pela construção do templo religioso.
Registros históricos dão conta de que o reinado de Ptolomeu IV não foi bem-sucedido, já que o faraó estava mais interessado em festejar e fingir ser um artista do que administrar um reino. Ele supostamente terceirizou a maior parte de seu trabalho e por pouco não perdeu o território de Celessíria (atualmente a região abrange partes do Líbano e da Síria) para rivais do Império Selêucida.
Os ptolomeus eram gregos macedônios que governaram o Egito de 305 a.C. a 30 a.C., assumindo frequentemente os símbolos reais e religiosos de antigos governantes egípcios. A monarca mais famosa dessa dinastia foi Cleópatra, que governou de 51 a.C até 30 a.C. Após sua morte, o Egito se tornou uma província do Império Romano. 

O Partenon, Atenas

O Partenon fica na área sul da Acrópole de Atenas e foi dedicado às deusas Athena. O nome "Parthenon" se refere ao epíteto "parthenos" de Athena, que significa virgem. A estrutura foi construída entre 447 e 432 aC, pelos arquitetos Callicrates e Ictino, sob a supervisão de Phidias, que também foi encarregado da decoração escultórica.